Festa automotiva na zona rural termina em pancadaria entre jovens


21 de agosto de 2011 - 22:34


Promova essa matéria: Orkut Share Promova Facebook Share Compartilhe Retweet Buttom Dihitt



RAUL MARQUES
Da Oeste Comunicação

Terminou em pancadaria a festa automotiva, que aconteceu neste domingo, 21, na Chácara do Alcides, na zona rural de Luís Eduardo Magalhães. Mais de 40 jovens brigaram entre si, por volta das 16h30, provocando ferimentos leves em Diego Dantas Almeida, a destruição do carro de Diego e o atropelamento de uma senhora de 34 anos. Policiais da 5ª Companhia da Polícia Militar foram obrigados a intervir para impedir que o tumulto tomasse grandes proporções.
Cerca de 30 jovens estavam na porta da delegacia neste domingo, às 19 horas, aguardando a liberação dos detidos por desacato e do automóvel de Diego. Segundo versão dos jovens, alguns amigos foram detidos por estarem brigando, quando, na verdade, estavam se defendendo ou apartando as brigas. Os policiais foram obrigados a agir com rigor para acalmar os ânimos.

Provocação

Embora nenhum entre os jovens presentes tenha confirmado o fato, a briga teria começado em razão de uma das meninas estar sendo disputada por dois rapazes de grupo antagônico. Ela teria começado a dançar pagode e atiçado os rapazes do grupo rival.
“Estava tudo bem até começar a provocação”, disse Omar Firmino dos Santos, detido por crime de desacato. Omar alega que estava tentando acalmar os ânimos e separando a briga, quando foi detido.
Diante da confusão, e depois de muito bate boca entre as partes, os grupos começaram a brigar, até que um deles, no qual havia uma menina grávida que quase foi agredida, decidiu se retirar do local. Os integrantes do outro grupo, denominado Tormento, tentaram impedir a saída dos rivais, com violência, acrescentou.
Rodrigo Glicério conta que todos correram para os carros, mas foram perseguidos pelos rivais, armados com facas. Carros foram arranhados ou danificados por pedradas.
Diego Dantas Almeida ficou para trás com o seu Gol branco, placa KCK 8353. “Veio então um monte de gente com pedras, latas e pedaços de pau, que eram atirados contra o carro”, disse um amigo dele. Diego, que se machucou na confusão, resolveu sair em disparada com o automóvel. Acabou atropelando Josiane Alves da Silva. Diego largou o carro e optou pela fuga a pé. Josiane foi medicada no centro de saúde Gileno de Sá e recebeu alta, sendo encaminhada a um ortopedista, para avaliar a gravidade das lesões que sofreu nas pernas.
O carro de Diego estava bastante avariado. Os mesmos policiais militares que fizeram a ocorrência retiraram diversos acessórios do veículo e os entregaram ao jovem dono do Gol. O carro mostrava sinais de que tinha sido amassado na parte superior por pisões e pulos e estava com o vidro da frente totalmente destruído.

Equipe Tormento dá sua versão

Jean dos Santos Bastos e Vandilson Santos Faria, integrantes da equipe Tormento, estiveram, nesta segunda-feira, 22, na redação do Oeste Semanal e do DiariodoOeste.com.br para dar sua verão e desmentir a dos jovens que estavam na porta da delegacia. “Não houve briga entre eles e qualquer membro da equipe Tormento. O que aconteceu foi um problema entre o dono do carro, que após arrumar uma confusão, tentou sair do local, atropelando uma senhora”, disse Jean Bastos, esclarecendo que a multidão resolveu atacar o carro, já que o jovem atropelador fugiu do local.

Organizadores de vários eventos deste tipo, os rapazes disseram-se surpreendidos diante das acusações feitas pelos jovens que estiveram na delegacia na véspera. “É a primeira vez em muitos eventos que houve uma confusão. Primeiro, queríamos deixar claro que a equipe Tormento, organizadora do festival, nunca entrou em qualquer briga. Depois, lamentar o ocorrido”, disse Vandilson dos Santos. Jean  dos Santos disse que não há qualquer lógica no fato de quem organiza o festival se meter em confusão. “Queremos é que o evento tenha sucesso para que outros aconteçam”, disse.

Na versão dos rapazes da equipe Tormento, a festa estava “bombando”, quando o grupo que teria sido agredido começou a tentar organizar uma festa paralela. “Tínhamos mais de dois mil jovens na festa, que não é uma competição de som automotivo. Os veículos convidados são interligados a uma mesa de som em que as músicas são comandadas por um DJ. Só participam veículos convidados e eles começaram a tocar som separadamente”, disse Vandilson.

Segundo relataram, o rapaz que teve o carro destruído teria criado problemas nos fundos da festa e resolvido ir embora. “Foi quando ele pegou o carro e praticamente o jogou contra a multidão que curtia o som. Neste momento, demos a ordem para o DJ parar o som e ele desconectou os plugs RCA, que ligam os carros à mesa de som”, disse Jean dos Santos.

Na  fuga,  Diego Dantas Almeida, que dirigia o Gol branco, placa KCK 8353, atropelou Josiane Alves da Silva. “Foi então que ele largou o carro e saiu correndo em disparada. A polícia foi chamada ao local por nós mesmos, quando percebemos que a multidão pôs-se a destruir o carro e a situação poderia se agravar”, disse Jean.

Jean e Vandilson entendem que o problema ocorrido no domingo foi pontual e prometem continuar a organizar festas deste tipo sem maiores problemas ou confusões. “Não é por causa de meia dúzia que interrompeu a festa que vamos parar de oferecer esta opção de lazer à juventude de Luís Eduardo”, disse Vandilson dos Santos.

Perguntado sobre a razão de não terem comparecido à delegacia, os dois informaram que não houve danos materiais ou físicos aos integrantes da equipe Tormento e que não havia razão para comparacerem à DP. “A gente devia, sim, uma satisfação aos proprietários da Chácara do Alcides”, disse.

A equipe Tormento emitiu uma nota de esclarecimento e a encaminhou à redação do Oeste Semanal:

“Luís Eduardo Magalhães-BA, 22 de agosto de 2011.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A EQUIPE TORMENTO agradece a presença de todos no evento do domingo na chácara do Alcides e vem, por meio desta, esclarecer que fomos apenas os organizadores do evento. O intuito do evento não é COMPETIÇÃO de som automotivo, pois todos os veículos estavam interligados a uma mesa de som na qual as músicas eram comandadas por um DJ.

Mas infelizmente existem pessoas que foram para o local com o intuito de brigar. Pessoas, estas, que acabaram com a festa. Gostaríamos de deixar bem claro que em momento algum nenhum integrante da Equipe Tormento participou deste ato de selvageria e, além do mais, a equipe repudia estes atos de brutalidade.

A equipe pede desculpas a todas as pessoas de bem que se fizeram presentes no evento”.

 

 

 

O Gol de Diego Dantas Almeida ficou bastante avariado. (Foto: Henrique Cabelo)


Matérias relacionadas: